Academia do Pescador

Minha Trajetória na Pesca Esportiva



​​​​​​​A minha paixão pela pesca veio desde pequeno como a maioria das pessoas, época onde raramente meu pai me levava para pescar.

Quando adolescente, eu, meu irmão mais velho e amigos, pegávamos nossas bicicletas e íamos para a fazenda onde minha tinha tia Isabel morava e trabalhava, na verdade, ela era a tia de minha mãe, minha tia-avó.

Ficávamos o dia todo pescando com varas de bambu, pegando lambari nos córregos, na caída da noite era hora de ir para casa cansados, porém, felizes. Ainda me lembro como se fosse hoje.

Já adulto com mais de 23 anos, as poucas vezes que fui pescar foi a convite do meu tio o André, irmão de minha mãe, o caçula de 13 irmãos, se me lembro bem foram no máximo umas 5 vezes, íamos em lagoas e sobre a ponte do Rio Grande na região de Volta Grande, lá utilizávamos molinete e linha monofilamento de nylon.

Muitos ainda pescam assim até hoje, mais pescar sobre ponte é algo que não recomendo, pois, não é muito seguro.

Já com meus 30 anos um dia me perguntei: “Amo tanto pescar, porque vou tão pouco assim?”, depois deste dia comecei a consumir muitos conteúdos sobre pesca, assistia a vídeos do Youtube e programas tanto da TV aberta quando de assinatura, sempre admirando e tentando aprender o máximo que eu pudesse com os famosos da época.

Depois de algum tempo comprei equipamentos como vara, carretilha, iscas artificiais, linha de multifilamento, gastei quase R$ 1.000,00 no meu primeiro kit completo e pensei: “eu sou o cara”, foram 2 dias desfazendo cabeleira na linha até conseguir um arremessar de 10 metros.

Mostrei a tralha nova para meu sogro a quem carinhosamente chamamos de “Tito”, que me respondeu de imediato: “Esta tal de carretilha não presta, joguei meu dinheiro fora comprando isso, e estes plastiquinhos que você chama de isca, isto não pega peixe, bom mesmo é lambari!”.

Mesmo nesta discordância fomos pescar no fim de semana seguinte, alugamos uma canoa e fomos desbravar o Rio Grande atrás dos tucunarés. Pescamos o dia todo, eu com minha tralha indicada pelos mestres da pesca e meu sogro com seu velho molinete, vara de fibra e seus lambaris.

O resultado no final do dia foi que meu sogro não pegou nenhum tucunaré, apenas uma piranha, as piranhas não davam tempo e comiam seus lambari antes mesmo dele perceber.

Já eu no final da pescaria, com muito custo, depois de muitas cabaleiras, consegui capturar um tucunaré de um palmo e meio utilizando uma isca de superfície, fiquei feliz e ao mesmo tempo aliviado por saber que minha tralha nova realmente funcionava. De repente ouvi meu sogro dizendo: “Não é possível que você pegou este peixe usando este plastiquinho!”.

Fomos embora devolver a canoa que havíamos alugado e enquanto descarregávamos as tralhas de pesca, olha só quem chegou, acreditem, meu tio André junto do seu amigo Marcelo de apelido “Tijolo” a quem eu acabara de conhecer.

Após cumprimentar meu Tio, seu amigo e apresentar a eles meu sogro, eles nos perguntaram: “Pegou muito?”, respondi que não, que os tucunarés não estavam atacando, eles sorriram e abriram a caixa térmica e nos mostraram, havia pelo menos uns 10 tucunarés azuis entre 45 e 60 cm e uns 15 tucunarés amarelos entre 35 e 50 cm.

Eu e meu sogro ficamos com cara de “bobos” na hora, observei a tralha que meu tio utilizava e era uma carretilha simples de marca que eu nunca tinha visto, e a vara também mesma coisa.

Perguntei a meu tio “Qual isca você utilizou?”, ele me respondeu que estava na caixa dele, dei uma bela olhada e não consegui identificar nenhuma dentre os nomes indicados na TV ou nos canais de Youtube. Sabe o que mais ele me disse? Ele disse que não comprava iscas que custasse mais de R$ 25 reais e que pescava ali naquela região a mais de 10 anos.

Depois deste dia fui pescar algumas vezes com meu tio, e cheguei a conclusão que eu não precisava de procurar dicas de TV que sempre eram simples e mais do mesmo, precisava sim de conhecimento técnico completo de forma que eu mesmo pudesse escolher meus equipamentos e minhas iscas.

Com a experiência de 10 anos de pesca que meu tio tinha, ele me deu algumas orientações sobre os locais de pesca, como trabalhar as iscas e onde arremessar, assim, eu soube por onde eu realmente deveria começar. Meu sogro e eu começamos a ir pescar no mínimo 3 vezes por mês. Lembra o equipamento que comprei através de indicações dos programas de TV?

Então, cinco meses de pescaria e a carretilha já era, começou a dar jogo na manivela e ao desmontar descobri que o rolamento anti reverso havia estourado e o guia de linha simplesmente trincou.

Decepções a parte, comecei a minha jornada como pescador de Tucunaré, procurando informações concretas sobre equipamentos de pesca, comecei a procurar informações mais técnicas, pois, eu precisava aprender, precisava entender a ponto de me sentir realmente capaz de fazer minhas próprias escolhas.

Apesar de termos bons fóruns e sites de pesca, somente consegui o que eu queria através de conteúdos fora do Brasil. Infelizmente aqui boa parte das pessoas copiam artigos uns dos outros e você acaba encontrando sempre a mesma coisa.


O legal de tudo isso é que depois de muitas pescarias a moda antiga meu sogro se rendeu e me pediu que escolhesse uma carretilha, vara e alguns plastiquinhos para ele. Até hoje somos companheiros de pesca e saiba que hoje ele possui tantas iscas artificiais quanto eu.

Hoje já são 7 longos anos de estudos, testes e práticas de pesca até chegar a um nível que me permitiu realizar belas capturas. Estou em uma situação onde me tornei referência para inúmeras pessoas. Hoje tenho a certeza de que cheguei onde eu realmente queria e que a Pesca Esportiva de tucunaré se tornou mais que uma paixão para mim, se tornou um estilo de vida.
​​​​​​​

Afinal, quem é Silvânio Cruz?

Mas, o que vai Garantir o seu Sucesso?



Para se obter excelentes resultados na Pesca Esportiva é preciso entender a base de seus fundamentos, então, é preciso entender que possuimos 3 pilares principais que garantem o seu sucesso, 2 deles dependem de você e 1 de todos nós, eles são:

  • A Paixão pela Pesca.

  • A Preservação Ambiental.

  • O Conhecimento Técnico.


Sempre que falamos de uma pessoa que consegue bons resultados na pesca, o que vem por trás dos resultados são anos de experiência, anos de conhecimento técnico que garantem a diferença na hora de encontrar belos exemplares.

A questão é que durante este longo tempo você acaba passando por muitos erros e acertos, e na maioria dos casos mais erros, além de investir também bastante dinheiro, principalmente em equipamentos, pois, sabemos que frente aos recursos necessários a pesca esportiva não é um esporte barato.



A Paixão Pela Pesca


Com o passar dos anos venho observando um grande crescimento dos adeptos à pesca esportiva, muitas destas pessoas vão pescar por vários motivos, muitos querem apenas criar um momento para estar com a família, outros para esquecerem a correria das cidades e outros se dizem realmente praticantes da pesca esportiva.

Mas quase todos tem uma coisa em comum, e sempre dizem algo bem parecido com isto: “Fomos pescar, não pegamos nada, mais o que vale é estar lá… ”.

Estas pessoas que dizem algo como o que foi citado, devem se considerar um apaixonado pela pesca, saiba que em algum lugar em você está plantada esta Paixão, que sempre motiva e leva você para o refúgio na beira dos rios e lagos, independente dos resultados serem bons ou ruins.

Uma boa notícia é que este é o principal pilar para se obter o seu sucesso na pesca esportiva, então, se até aqui você se identificou e quando surge uma oportunidade deseja estar lá na beira dos rios e lagos, independente do resultado que terá na sua pescaria, então, pode continuar lendo este texto.

Agora caso seja o contrário, não perca seu tempo, pois, nos primeiros obstáculos que você encontrar na sua jornada da pesca esportiva com certeza irá abandonar tudo.



Preservação Ambiental


O segundo pilar e que considero responsabilidade de todos, onde cada um deve ser consciente e dar a sua contribuição é a Preservação Ambiental. Pense comigo, de que adianta ter paixão pela pesca ou até mesmo ter uma grande experiência se não houver peixe para se pescar!

Boa parte das pessoas que pescam a muitos anos adoram contar suas histórias e dizem algo como: “Antigamente pescávamos muitos peixes, me lembro que pegávamos mais de 120 em um dia!”.

E dizemos “Então vamos lá pescar neste lugar.”, e a resposta é parecida com “Agora não adianta mais ir, não tem mais peixes, acabaram com todos, armaram muitas redes e pescaram muito com arpão!”.

Posso dizer que eu realmente concordo com estas respostas, mas eu lhe pergunto “E os 120 peixes pescados em um dia, eles também não contribuíram para o fim?”.

É preciso compreender que a responsabilidade das outras pessoas começam quando a nossa responsabilidade termina, é importante fazermos uma autoanálise de nossos atos, antes mesmo de cobrar ou apontar o dedo para os outros.

Agora pense, e se você tivesse pego os seus 120 peixes em um dia, tirado suas fotos com estes belos exemplares capturados, devolvido 110 e levado apenas 10 para você comer. Qual seria o impacto desta atitude? Afinal, se você ama pescar, com certeza na próxima semana você estaria pescando novamente não é mesmo!

Muitas pessoas hoje gastam cerca de 10 mil reais em um pacote de viagem para pescar na Argentina, Tocantins ou Amazonia, saiba que os nossos rios sempre tiveram as mesmas espécies e quantidade de peixes que encontramos lá. A única diferença é que na Argentina eles aprenderam os benefícios da preservação, e isto é algo que ainda está começando aqui no Brasil e nós literalmente pagamos por isso.

É importante compreender que a preservação ambiental é algo que deve ser aplicado por todos, seja na captura e soltura de peixes, não jogar lixos nos rios, não importa, devemos fazer a nossa parte onde somada retornará um grande e positivo resultado para todos nós.



O Conhecimentos Técnicos


Pois bem, falamos sobre a Paixão pela pesca que é o que realmente move cada um de nós pescadores, e falamos sobre a importância da Preservação Ambiental e o grande impacto que ela proporciona. 

A Paixão é algo que está em nós, que pode ser descoberto em uma primeira oportunidade que tivermos para ir pescar, seja com pai, com o avô ou até mesmo com os amigos.

Já a Preservação Ambiental trata-se de uma opinião que pode ser construída a qualquer momento, através de sua própria reflexão entre o certo e o errado, entre os benefícios e os malefícios por trás das nossas atitudes. 

Agora que já entendemos muito bem os dois primeiros pilares, podemos agora falar sobre o terceiro pilar, o Conhecimento Técnico.

Para se alcançar o bom conhecimento, independente do que se faz, é preciso tempo, pois com o tempo de atuação você vivencia inúmeras situações que te levam a erros ou acertos e com eles o aprendizado que consequentemente irá lhe entregar o sucesso.

Acabei aprendendo com meus erros e acertos, levei cerca de 7 anos para me tornar um Pescador Esportivo com os conhecimentos necessário, para ter segurança de tomar minhas próprias escolhas, para alcançar os meus resultados.

Para dominar o conhecimento técnico você precisará de 3 coisas:


  • Da Informação
  • Da Prática
  • Da Execução


A informação deve ser procurada, seja com os mais experientes, nos melhores portais de pesca ou até mesmo por conta própria, isto leva tempo e muito trabalho até mesmo para identificar o que é bom ou não.

A prática irá depender da sua resiliência em superar os desafios, da mesma forma que levei 2 dias para fazer meu primeiro arremesso, você deve persistir e práticar. 

execução é ir literalmente pescar e aplicar o que você adquiriu de informação e durante o tempo que praticou, e infelizmente este é também o momento que você acaba descobrindo verdades e mentiras.


Porque Transformar pessoas?



Durante estes muitos anos de pesca tive a oportunidade de conhecer varia pessoas e fiz muitas amizades,  inclusive que fazem parte da minha vida até hoje. Diante de tantos parceiros pude conhecer pescadores de diversos níveis:

  • Aquele simples que não sabe nada e precisa sempre de ajuda.
  • O orgulhoso que não sabe, mas mesmo assim não pede ajuda ou não permite ser ajudado.
  • Que pesca a muitos anos, mas ficou desatualizado e não consegue hoje bons resultados.
  • O que diz ser altamente experiente, mas que comete erros de principiante.
  • E o pescador realmente experiente, com muito conhecimento e que ainda lhe dá dicas incríveis durante a pescaria.

​​​​​​Além deste contato direto e pessoal que eu tinha com os pescadores, nos últimos anos observei que muitas pessoas nas redes sociais, ao virem minhas fotos ou vídeos, não apenas curtim, mas comentavam, porém, com questionamentos como:

  • Qual melhor isca para tucunaré?
  • Como usar isca de superfície?
  • Qual vara devo comprar?
  • Qual carretilha compro para da de presente para meu pai?
  • Esta isca é boa?
  • Como pescar em lagos?

Estes são apenas alguns dos questionamentos que eu recebia, além disto, eu me deparava sempre com outros pescadores durante as pescarias e presenciava os mesmos erros que eu cometia antigamente.

Eu me perguntava quanto tempo eles também teriam de perder até conseguirem as informações certas, praticarem e executarem do jeito certo.

Eu um Bacharel em Sistemas de Informação, que trabalhava solucionando os problemas das empresas, aplicando soluções pela Internet, onde seus funcionários podiam aprender através do computador, tablet ou smartphone.  Então pensei, porque não fazer a mesma coisa para estes pescadores!

Foi quando surgiu a Academia do Pescador, uma plataforma 100% online, que pode ser acessada de qualquer lugar, 24h por dia, basta ter um acesso à internet, seja através de um computador ou smartphone, simples como assistir um vídeo pelo Youtube.

Esta foi a forma que encontrei de ajudar as pessoas que possuem esta paixão pela pesca, para que aprendam tudo que é preciso para se transformar em um pescador esportivo em apenas um mês, semanas ou dias. 

Esta hoje é minha contribuição, minha razão, minha missão, transformar pessoas, de admiradores da pesca em Pescadores Esportivos de alto conhecimento.
LinkedinFacebookYoutubeTwitterInstagram